WhatsApp diz à CPMI ter banido milhares de contas na eleição de 2018

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2019 06h31
PixabayA empresa proíbe expressamente o uso de aplicativos ou robôs para impulsionar mensagens ou criar grupos de forma irregular

O WhatsApp informa que baniu mais de 400 mil contas no Brasil durante as eleições de 2018 por terem violado os termos de uso do aplicativo. Um dos motivos seria o disparo em massa de mensagens.

Os banimentos aconteceram entre 15 de agosto e 28 de outubro do ano passado, no período da campanha eleitoral.

A empresa proíbe expressamente o uso de aplicativos ou robôs para impulsionar mensagens ou criar grupos de forma irregular. A eliminação de contas é feita sem considerar o conteúdo do material espalhado em massa, e sim apenas no comportamento da conta que práticas violando as regras.

A informação está em um documento enviado ao presidente da CPMI das Fake News, senador Angelo Coronel, do PSD.

Ele solicitou que o WhatsApp fornecesse dados não criptografados, como números de telefones e nomes de perfis de todas as contas suspeitas que foram banidas por uso potencial de robôs, disparos de massa e disseminar notícias falsas e discurso de ódio durante as últimas eleições.

Ainda segundo o WhatsApp, “de um modo geral”, não existem informações disponíveis das contas banidas nesse período. Porém, algumas delas foram objeto de divulgação de dados para Tribunais Eleitorais no Brasil ou para a preservação de dados em casos eleitorais”

A empresa afirma que, por mês, cerca de 2 milhões de contas são banidas em todo o mundo.

*Com informações do repórter Levy Guimarães