Suspeito de agredir e matar GCM é ouvido, mas vai responder em liberdade

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2020 07h42
Tânia Rêgo/Agência BrasilPolícia Civil investiga o caso

A Polícia Civil ouviu nesta quinta-feira o homem que agrediu um guarda civil metropolitano que prestava serviços ao município de Santo André, na Grande São Paulo.  

O GCM Benedito Manoel da Silva, de 56 anos, morreu após receber socos no peito no Parque Celso Daniel, no centro da cidade, na quarta-feira. Benedito tinha problemas cardíacos e sofreu um infarto. 

De acordo com testemunhas, por volta das quatro da tarde, uma pessoa estava fumando narguilé no local. Um dos usuários do parque se incomodou com a fumaça e chamou Benedito. Segundo o GCM Roberto Durante, foi nesse momento que a confusão começou. 

“Uma das pessoas revoltadas por ter sido solicitado que se retirasse do local desferiu dois golpes no nosso colega, GCM primeira classe, Manoel. Foram dois golpes foram socos no peito, combinados com uma parada cardíaca. O parceiro do Manoel conseguiu deter o agressor. Ele foi conduzido ao 4º DP e autuado”

O autônomo e frequentador do parque Josivan Estima diz que não é comum ver jovens fumando narguilé no local.

“Não é comum não, eu frequento o parque dia sim, dia não. Nunca vi ninguém fumando. Pelo menos coisas estranhas assim, não. Fiquei sabendo do narguilé e não é comum.”

O guarda Benedito Manoel da Silva foi levado à Unidade de Pronto Atendimento, mas não resistiu. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o agressor, de 22 anos, vai responder em liberdade. O corpo do agente foi enterrado nesta quinta-feira, em Santo André.

* Com informações do repórter Leonardo Martins.

  • Tags: