Sete em cada dez brasileiros vão comprar presentes no Natal, diz SPC

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2019 08h09
UARLEN VALÉRIO/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDOO valor arrecadado pode ficar até acima do que foi projetado, porque, segundo a pesquisa, 17% dos consumidores ainda não decidiram se vão adquirir presentes

As vendas de presentes para o Natal devem movimentar R$ 60 bilhões na economia brasileira, segundo um balanço divulgado pelo SPC Brasil – o Serviço de Proteção ao Crédito – e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

De acordo com a pesquisa, quase 120 milhões de brasileiros, o equivalente a 77% dos consumidores, devem ir à compras.

O índice fica próximo do que foi registrado no mesmo período do ano passado, quando 79% dos entrevistados disseram que tinham a intenção de presentear alguém.

Segundo a economista do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o Natal é a data mais importante do ano para o comércio.

“Pra se ter uma ideia, quando a gente soma Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia das Crianças e Dia dos Pais, a soma do valor injetado na economia é de R$ 67 bilhões. O Natal equivale quase a soma total dessas quatro datas.”

O valor arrecadado pode ficar até acima do que foi projetado, porque, segundo a pesquisa, 17% dos consumidores ainda não decidiram se vão adquirir presentes. Apenas 7% declararam abertamente que não têm a intenção de presentear ninguém.

Entre aqueles que não vão comprar nada, 39% dizem que o motivo é a falta de dinheiro e 15% de entrevistados falam que não têm o costume. Outros 15% alegam que estão desempregados.

A economista Marcela Kwauti, do SPC, acha que o resultado das vendas de Natal vai funcionar como um termômetro para o ano que vem.

“E entender como o consumidor vai se comportar nesse momento é importante para a gente começar a estimar qual vai ser o crescimento da economia, em geral, no ano de 2020.”

Na lista de presentes mais procurados, as roupas aparecem em primeiro lugar – citadas por 58% dos entrevistados. Na sequência aparecem brinquedos, perfumes e cosméticos, calçados e acessórios.

-Quanto ao local de compra, 41% escolheram lojas de departamento e outros 41% o comércio eletrônico. Depois, vêm os shopping centers, mencionados por 37% dos consumidores.

*Com informações do repórter Vitor Brown