Reparos em pontes e viadutos de SP já consumiram quase R$ 40 milhões

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2019 08h03
Carlos Nardi/Estadão ConteúdoA previsão é que os custos fiquem em torno de R$ 64 milhões

Um ano depois de o viaduto da Marginal Pinheiros ter desabado, a prefeitura de São Paulo realizou sete obras emergenciais em pontes e viadutos da cidade. A estrutura, localizada na Zona Oeste da capital, cedeu cerca de dois metros no dia quinze de novembro de 2018, e gerou um caos no trânsito da maior cidade brasileira.

As obras concluídas foram realizadas em trechos das pontes da Casa Verde, Freguesia do Ó, Dutra, Ponte do Limão, Pontilhão Itaim e o viaduto da Marginal Pinheiros.  Outras cinco obras, em oito trechos – ponte do Jaguaré, viaduto Miguel Morrafej, viaduto Alcântara Machado e pontilhão Córrego Três Pontes- estão em andamento.

Ao todo, a Prefeitura vistoriou 126 locais. Foram investidos, até agora, quase R$ 38 milhões. A previsão é que os custos fiquem em torno de R$ 64 milhões.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), disse que a administração municipal precisou investir nas estruturas que já existem em vez de aplicar recursos em novas obras. “O recurso que, em gestões anteriores, iria para construir obra nova, nessa gestão foi para a gente avaliar a situação das obras anteriores e corrigir eventuais distorções, ou seja: colocar para funcionar aquilo que já existe antes de começar qualquer obra nova”, explicou.

Além das obras emergenciais que foram feitas ou serão concluídas, dois editais de licitação foram lançados para a contratação de 37 laudos periciais. De acordo com a Prefeitura, um terceiro lote com mais 18 laudos vai sair na próxima semana.

Além disso, as licitações para os 70 trechos restantes estarão publicadas até 21 de dezembro.

*Com informações da repórter Nicole Fusco