PF vai apurar vazamento de dados de Bolsonaro e filhos

  • Por Jovem Pan
  • 03/06/2020 06h10
Jayme/Ascom/TSETratam-se de informações sigilosas como: salário, endereços, telefones, perfil de crédito, renda, nomes de familiares e bens declarados

A Polícia Federal vai investigar o vazamento de supostos dados do presidente Jair Bolsonaro, dos filhos dele, de ministros e de apoiadores do governo.  O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, determinou, na terça-feira (2), a abertura de um inquérito para apurar os fatos.

Segundo Mendonça, as investigações devem avaliar a possibilidade de que tenham sido cometidos crimes previstos no Código Penal, na Lei de Segurança Nacional e na Lei das Organizações Criminosas.

Os dados foram divulgados na segunda-feira (1º) em perfis do twitter supostamente ligados ao grupo de hackers conhecido como Anonymous Brasil. Tratam-se de informações sigilosas como: salário, endereços eletrônicos e físicos, telefones, perfil de crédito, renda, nomes de familiares e bens declarados.

Uma das contas responsáveis pelas publicações foi suspensa minutos depois e o site onde estavam armazenados os dados saiu do ar.

Oficialmente, o Palácio do Planalto não atesta a autenticidade das informações atribuídas ao presidente e aos familiares dele.

O vereador Carlos Bolsonaro, no entanto, chegou confirmar pelo twitter que dados pessoais dele haviam sido vazados. O mesmo fez o deputado estadual de São Paulo, Douglas Garcia, que garantiu que faria um boletim de ocorrência sobre o caso.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, que também foi alvo do grupo de hackers, não disse que se as informações são verdadeiras ou não, mas divulgou uma nota afirmando que “a divergência de ideias jamais deveria ser justificativa para a prática” do que definiu como “ação totalitária e antidemocrática”.

A avaliação do Palácio do Planalto é que os dados ficaram pouco tempo no ar e que o melhor é não falar muito sobre o assunto para não dar publicidade ao grupo de hackers responsável pela divulgação.

*Com informações do repórter Antonio Maldonado