Milésimo gol de Pelé faz 50 anos: ‘Antes de bater o pênalti eu falava: Não posso errar’

  • Por Thiago Uberreich/Jovem Pan
  • 19/11/2019 08h22
ReproduçãoGol mil de Pelé

Pelé queria chegar ao milésimo gol e vinha perseguindo a marca histórica durante todo o mês de novembro do ano de 1969. Coincidência ou não, ele atingiu o número cabalístico no maior estádio do mundo, o Maracanã, na partida Santos x Vasco da Gama, há exatos 50 anos, de pênalti.

O goleiro do time carioca, o argentino Andrada, pulou no canto esquerdo e por pouco não defendeu. Mesmo com as pernas tremendo, Pelé conseguiu demonstrar tranquilidade. Porque era mais do que gênio.

Ouça a narração de Joseval Peixoto na Jovem Pan do milésimo gol de Pelé:

“Por que o milésimo gol tinha que ser de pênalti? Eu ficava pensando: ‘Caramba, podia ser normal’. Foi a pior coisa para mim, a mais difícil, porque antes de bater o pênalti eu falava: ‘Não posso perder o gol, o goleiro não pode defender’. Foi uma experiência maravilhosa”, comentou Pelé, o Rei do Futebol, à Jovem Pan.

Segundo Pelé, “todo mundo acha que pênalti é fácil de fazer”. Mas ele lembra que, ao colocar a bola na marca e ouvir seu nome entoado pela torcida, “começou a tremer”.

“Não posso perder”, pensou Pelé. E não perdeu: com a bola na rede, ele gritava e beijava a bola. O Santos ganhou o jogo contra o Vasco da Gama por 2 a 1, e o atleta do século a saída de vez do número 999. Eram mil gols, mil comemorações, mil socos no ar, mil vezes goleiros batidos, mil explosões de alegria.