Menor parte dos fugitivos de prisão no Paraguai era de São Paulo, diz PM

  • Por Jovem Pan
  • 22/01/2020 06h41
Reprodução/Porã NewsEm razão da fuga, a Polícia Militar de São Paulo reforçou o patrulhamento nas rodovias e divisas do Estado

A Polícia segue procurando os presos que fugiram do presídio Pedro Juan Caballero, no Paraguai, no último domingo (19). Até agora, apenas seis dos 76 detentos foram recapturados.

Cinco foram detidos em território paraguaio e, um em Ponta Porã — no Mato Grosso do Sul.

Segundo o Ministério do Interior do Paraguai, nas buscas aos fugitivos os agentes também prenderam pessoas com mandados de prisão em aberto e até localizaram uma sala de processamento de pasta base de cocaína.

Dos fugitivos, 40 são brasileiros, 36 são paraguaios e a maioria faz parte do PCC. Eles cavaram um túnel na prisão, mas boa parte teria saído pelo portão principal da penitenciária nos dias anteriores a descoberta da fuga.

As autoridades afirmam que os integrantes da facção criminosa teriam pago a agentes penitenciários US$ 80 mil, cerca de R$ 320 mil, para facilitar a fuga.

O ministro do Interior do Paraguai, Euclides Acevedo, e a Ministra da Justiça, Cecilia Pérez, se reuniram com parlamentares paraguaios para explicar o andamento da investigação sobre a fuga.

Acevedo disse que, até o momento, tudo que podia foi feito: os responsáveis ​​foram demitidos e a Polícia Nacional está atrás dos fugitivos.

Em razão da fuga, a Polícia Militar de São Paulo reforçou o patrulhamento nas rodovias e divisas, como destaca o porta-voz da corporação, tenente-coronel Emerson Massera.

“Mais 20 mil policiais nas rodovias e divisas de São Paulo de forma a transmitir essa sensação de segurança às pessoas e a tranquilidade de que o Estado de São Paulo está bem policiado, bem vigiado. Dificilmente teremos problemas aqui em São Paulo.”

Massera disse que poucos dos criminosos que fugiram do presídio Pedro Juan Caballero são de São Paulo — mas em consequência do aumento do patrulhamento, os policiais efetuaram prisões e apreenderam drogas.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni