Justiça condena 10 investigados na operação Carne Fraca

  • Por Jovem Pan
  • 22/01/2020 06h43
EFE/Joédson AlvesOperação apura irregularidades no âmbito da Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Paraná (SFA-PR)

A Justiça condenou dez investigados em um processo da Operação Carne Fraca. A sentença foi proferida pelo juiz Ricardo Rachid de Oliveira. Na mesma ação, sete pessoas foram absolvidas.

A Operação apura irregularidades no âmbito da Superintendência Federal de Agricultura no Estado do Paraná (SFA-PR), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

De acordo com a Polícia Federal, os servidores que recebiam as vantagens deixavam de realizar algumas fiscalizações nas sedes das empresas ou atuavam para acelerar processos das companhias dentro do ministério.

O esquema no Paraná era comandado pelo ex-superintendente regional, Daniel Gonçalves Filho, e pela chefe do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, Maria do Rocio Nascimento.

Também figuram na lista de condenados os fiscais agropecuários Eraldo Cavalcanti e Renato Menon; o gestor do frigorífico Souza Ramos, Daniel Ricardo dos Santos; Flavio Cassou, delator, médico veterinário e funcionário da Seara, empresa do Grupo JBS. Alice Mitico Gonçalves, esposa de Daniel Gonçalves Filho, que atuava na parte de lavagem de capitais dos valores ilícitos recebidos pelo marido.  Mara Rubia Mayorka, irmã de Maria do Rocio, Roberto Borba Coelho e Sonia Mara Nascimento. 

Entre os crimes estão: corrupção ativa e passiva,  violação de sigilo funcional e lavagem de capitais. Daniel Gonçalves Filho, Eraldo Cavalcanti, Maria do Rocio e Renato Menon perdem os cargos públicos por determinação da Justiça.

* Com informações do repórter Daniel Lian.