Com iniciativas de cooperação, EUA já destinaram mais de US$15 milhões para combate à Covid-19 no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2020 08h45
EFETodd Chapman afirmou que a "sintonia entre os governos sempre existiu", o que é considerada uma "alegria" pelos americanos

O embaixador dos Estados Unidos (EUA) em Brasília, Todd Chapman, entende que as iniciativas de cooperação entre o Brasil e os EUA estão fortalecendo a luta contra o “inimigo invisível”, o coronavírus. Segundo ele, cerca de US$15 milhões já foram destinados a organizações brasileiras para o enfrentamento da pandemia, além de valores para ajuda financeira das empresas.

“Estamos cooperando mandando respiradores, medicamentos, mandando informações, que são essenciais para o combate à Covid-19. Já entregamos mais 15 milhões de dólares, mais ou menos 80 milhões de reais, para organizações no Brasil no combate ao coronavírus. Realmente estamos cooperando nas áreas mais importantes nesse momento”, afirma o embaixador em entrevista ao Jornal da Manhã.

Todd Chapman afirmou que a “sintonia entre os governos sempre existiu”, o que é considerado uma “alegria” para os americanos. De acordo com ele, a proximidade entre os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump vão ampliar ainda mais as chances e possibilidades de cooperação entre os países. “Nosso dever como diplomatas é aproveitar [a proximidade] para realizar coisas que podem ajudar o povo brasileiro e o povo americano, com os acordos já feitos”, destaca.

Ainda durante a entrevista, o embaixador falou sobre o controle das fronteiras e a proibição da entrada de brasileiros em alguns países, em decorrência do avanço da Covid-19 no país, e ressaltou a necessidade de proteger os cidadãos.

“Todas as nações que estão controlando as fronteiras têm que fazer o melhor para os seus cidadãos. Espero que com a diminuição do vírus, que está realmente atacando o mundo, que possamos reduzir [as limitações]. Mas ainda tem um certo tempo, temos que ter cuidado e proteger todos que amamos ao redor e com isso estamos comprometidos”, finaliza.