Paulistanos devem tomar cuidado com aglomerações na hora de praticar exercícios

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2020 07h57
Peter Foley/EFEinfectologista recomenda que as pessoas priorizem os exercícios que podem ser executados em casa

Em São Paulo, mesmo com os parques fechados os paulistanos continuam praticando regularmente atividades físicas. A reportagem da Jovem Pan verificou na Avenida Paulista que dezenas de pessoas estão se exercitando e muitas delas sem o devido cuidado.

O professor aposentado Fernando Passos, de 68 anos, é exemplo disso. Mesmo no grupo de risco, ele se diz absolutamente contra o isolamento social. “Eu considero que as preocupações do presidente são muito legitimas com relação ao isolamento vertical e quanto a aplicação de drogas como a cloroquina como alternativa. Não acredito que a OMS seja uma organização confiável.”

O cenário preocupante pode ser observado com relativa facilidade. Na Praça Alexandre de Gusmão, próxima ao Metrô Trianon, muitas pessoas faziam juntas algumas atividades físicas.

O empresario Alexandre Azeredo, de 32 anos, demonstrou preocupação com o coronavírus, mas afirmou que está aproveitando a quarentena para ampliar a carga de exercícios. “To fazendo mais do que antes porque estou com mais tempo. A gente que não é grupo de risco tem que estar saudável para não deixar a doença desenvolver.”

Na ultima semana, autoridades do Ministério da Saúde recomendaram que pessoas fizessem, com cautela, caminhadas ao ar livre. Em contato com a Jovem Pan, o infectologista Alexandre Vargas demonstrou ser favorável a pratica de atividades em ambientes abertos, desde que sem grandes aglomerações.

“Existe um detalhe grande que é: mesmo as aglomerações em lugar aberto deve ser evitadas. Se você consegue manter sua corrida de forma individual, não tem risco. O grande problema são atividades conjuntas.”

O infectologista recomendou ainda que as pessoas priorizem os exercícios que podem ser executados em casa.

*Com informações do repórter Raphael Thebas