Com 100% das atividades paradas, setor de eventos já fala em ‘ano perdido’

  • Por Jovem Pan
  • 29/05/2020 06h36
Cocobongo Show (Foto: Luciano Garcia)A Abrape desenvolve um protocolo de segurança para apresentação aos municípios, estados e a União

O mercado de eventos foi um dos primeiros a entrar nas restrições, provocadas pela pandemia do novo coronavírus, e caminha para ser também um dos últimos a sair da crise econômica.

O presidente da Abrape, Doreni Caramori, ressalta que o segmento ainda está 100% paralisado. “Há 43 cadeias econômicas ligadas a eventos e é muito impactando. Todas elas sofrem porque a produção de eventos está inviabilizada nesse momento.”

A Medida Provisória 948 normatiza as relações contratuais nesse momento de pandemia. “Nivela e dá segurança as relações de consumo e a todas as outras relações comerciais da cadeia. O nosso setor tem regras agora mais claras do processo de devolução de ingressos, transferências, cancelamentos. E em função disso consegue fazer disciplina da cadeia econômica dos fornecedores até os consumidores.”

A Associação Brasileira dos Promotores de Eventos desenvolve um protocolo de segurança para apresentação aos municípios, estados e a União — que vai estabelecer fases para uma retomada da atividade do setor nos próximos meses.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos