Acusador de Clinton vai defender Trump em processo de impeachment

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2020 11h46
EFE/EPA/SHAWN THEWOs democratas dizem que Trump teria pressionado o presidente da Ucrânia ao fazer uma acusação contra o pré-candidato às eleições, Joe Biden

O advogado Kenneth Starr, conhecido por ter sido o responsável pelas acusações de impeachment do ex-presidente americano Bill Clinton, deve fazer parte da equipe de defesa de Donald Trump no julgado do Senado.

De acordo com a Reuters, o advogado Alan Dershowitz, que defendeu o jogador de futebol americano OJ Simpson — acusado de matar a esposa nos anos 90 — também deve compor a frente de defesa do atual presidente dos EUA.

O grupo será chefiado pelo conselheiro da Casa Branca, Pat Cipollone, e pelo advogado particular de Turmp, Jay Sekulow.

Na quinta-feira (16), os Senado começou os precedimentos formais para o andamento do impeachment do atual presidente. Os senadores fizeram um juramento se comprometendo a atuar como juízes imparciais — de acordo com a Constituição norte-americana.

Sete deputados democratas vão atuar como promotores do julgamento, que deve começar na terça-feira (21) e continuar ao longo da semana — com intervalo apenas no domingo (26).

As acusações contra Donald Trump são de abuso de poder e obstrução do Congresso pela recusa da Casa Branca de cooperar com o inquérito do impeachment.

Os democratas dizem que Trump teria pressionado o presidente da Ucrânia ao fazer uma acusação contra o pré-candidato às eleições, Joe Biden — cujo filho já teve negócios que levantaram suspeitas no pais.

Para que Donald Trump seja removido do cargo, pelo menos dois terços dos senadores devem votar a favor do impeachment. O cenário é importável, já que 53 dos 100 senadores são republicanos e, até agora, nenhum deles se posicionou a favor do processo.

*Com informações da repórter Mariana Janjácomo