Novos vídeos contrariam versão da polícia de que Floyd teria resistido

Ex-segurança foi asfixiado durante oito minutos pelo policial Derek Chauvin, preso por homicídio.

  • Por Jovem Pan
  • 01/06/2020 21h06
Reprodução / Redes SociaisDerek Chauvin usou uma imobilização que a própria polícia da cidade proíbe, a menos que o suspeito resista "ativamente", o que até agora não foi provado que aconteceu

Novas imagens e reconstituições dos momentos anteriores ao assassinato de George Floyd não dão indícios de que ele tenha “resistido violentamente à prisão”, como alega a polícia. Floyd foi asfixiado durante oito minutos pelo policial Derek Chauvin, preso por homicídio.

Em um vídeo gravado pela câmera de segurança de uma loja, e que veio à tona ontem, mostra a vítima dentro de uma viatura policial e algemada, com dois agentes, um de cada lado, que parecem estar lutando com ele, enquanto pelo menos um terceiro policial observa a cena a uma curta distância.

Outros vídeos de outras câmeras já divulgados exibem os policiais tirando Floyd de seu veículo e o colocando na calçada, e depois ele deitado de bruços no chão, com um dos policiais pressionando o joelho contra o pescoço dele, até que perca a consciência.

Derek Chauvin usou uma imobilização que a própria polícia da cidade proíbe, a menos que o suspeito resista “ativamente”, o que até agora não foi provado que aconteceu. Por razões desconhecidas, ele tirou Floyd da viatura, e ficou ajoelhado sobre o seu pescoço, enquanto ele era imobilizado por mais dois agentes.

Em uma reconstrução dos acontecimentos, o jornal “The New York Times” reuniu todos os vídeos disponíveis junto com os áudios das ligações de emergência e outras evidências, que a princípio mostram violações de protocolos internos da polícia.

Na ausência de filmagens públicas das câmeras transportadas pela polícia, nenhum desses materiais confirma a versão oficial inicial, de que Floyd havia resistido à prisão.

Reconstituição

Os policiais que renderam o ex-segurança foram ao local onde ele estava após receberem uma denúncia de que o homem teria usado uma nota falsa de US$ 20 em um mercado e o encontraram do lado de fora do estabelecimento, dentro de seu veículo.

Poucos segundos depois, um dos policiais puxou uma arma e ordenou que colocasse as mãos no volante. Depois, ele pôs a arma de lado e o tirou do veículo, sem resistência de Floyd, que foi colocado na calçada, com as mãos para trás.

Nas imagens seguintes, os agentes levam Floyd em direção a uma viatura, e em um determinado instante ele cai no chão. De acordo com documentos judiciais, o homem diz aos policiais que é claustrofóbico e não conseguia respirar, recusando-se a entrar na viatura.

No vídeo posterior, o último a ser divulgado, ele já pode ser visto dentro do carro, antes de ser levado de volta ao chão por Chauvin, que então o sufoca com o joelho no pescoço.

O policial só saiu de cima dele quando foi solicitado pelos socorristas, que responderam ao pedido dos policiais para que uma ambulância fosse levada ao local.

Floyd foi declarado morto pouco depois em um hospital local, e sua morte provocou uma forte onda de indignação nos Estados Unidos, com protestos por todo o país que duram até hoje.

* Com EFE