Ortopedista diz que fratura de Anderson Silva é rara para atividades físicas

  • Por Jovem Pan
  • 02/01/2014 14h33

Lesão de Anderson Silva pode ter ocorrido por esforço repetitivo

Lesão de Anderson Silva pode ter ocorrido por esforço repetitivo

As imagens da lesão de Anderson Silva do último domingo chocaram o público. Após a tentativa de chute em Chris Weidman, Spider fraturou a tíbia e a fíbula da perna esquerda e passou por cirurgia, quando foi colocada uma haste para estabilização dos ossos.

A Jovem Pan conversou com o ortopedista do Hospital Sírio Libanês e Hospital das Clínicas, Túlio Diniz, que explicou que a diáfise, parte tubular e mais comprida do osso, pode sofrer lesão por duas maneiras: “algumas acontecem com o enfraquecimento do osso por esforço repetitivo, por estresse, que gera uma fratura completa. Ou pode ser um trauma direto, pela violência de um movimento brusco, como neste caso, em que a tíbia se chocou contra a perna do oponente”.

Ele comentou que este tipo de fratura compromete a integridade do osso, e é necessária intervenção cirúrgica. “Neste processo foi feita a implantação de uma haste metálica intramedular, para reconstituição do osso”.

A causa exata do trauma, no entanto, é difícil de confirmar. O ortopedista garante que a violência do golpe pode realmente quebrar, mas é uma fratura rara para atividade esportiva.

O tempo para retorno de Anderson Silva, que já ganhou alta da cirurgia e iniciou as sessões de fisioterapia para recuperação, é de seis meses. O médico explica que o osso demora entre seis e doze semanas para cicatrizar, mas a recuperação completa, psicológica e física, demora mais.  “Em casos de diástase a expectativa para consolidação é boa. O mais grave é quando atinge articulação”.

Um ponto que influencia esse tempo é a idade de Anderson Silva, que completa 39 anos em abril. “Isto tem peso na velocidade de recuperação. Demora mais tempo para recondicionamento físico, e é necessário avaliar a força de vontade e concepção de número de lesões que ele estará sujeito”. Mas Túlio garante que as chances são consideráveis, e elogia Anderson: “é um atleta de altíssimo desempenho, talvez o maior da historia na categoria”.