Médico do Corinthians evita projetar retorno do futebol: ‘É uma 3ª Guerra Mundial’

  • Por Jovem Pan
  • 23/03/2020 11h48
PETER LEONE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOJorge Kalil ao lado de Sidcley

Jorge Kalil, médico e diretor de futebol do Corinthians, evitou projetar o retorno do futebol no Brasil. Para o especialista, a doença Covid-19, causada pelo novo coronavírus, precisa ser enfrentada como uma Terceira Guerra Mundial.

Em entrevista ao “Yahoo!”, nesta segunda-feira (23), Kalil disse ser impossível prever quando os times brasileiros retornarão aos gramados

“É impossível fazer uma previsão neste momento. Vejam, por exemplo, que a China, após ter controlado a pandemia, voltou a ter casos. Novamente, há o receio de que tudo possa começar do zero em relação à letalidade e agressividade deste vírus. Não dá para responder a pergunta de que quando voltará ao normal, e sim é um risco que esse vírus está causando. Mexeu no mundo inteiro e como disse, anteriormente, um ser invisível que não sabemos onde está e estará e que armas nucleares não serão capazes de intimidá-lo. Portanto, as medidas devem ser preventivas e todos estão exaustos de saber quais são. Fica aqui um apelo e uma recomendação: vamos vencer essa terceira guerra mundial”, disse.

O médico também revelou que os jogadores do Corinthians estão disciplinados quanto às orientações sobre evitar a propagação do vírus.

“Jogadores do Corinthians, assim como toda a população brasileira, está disciplinada. Todos os brasileiros estão empenhados, raríssimos aqueles que não têm consciência dos seus deveres. Não só os jogadores do Corinthians, mas todos da comissão técnica, funcionários, pessoal de suporte, diretoria, enfim, todos os brasileiros estão empenhados e o elenco do Corinthians está muito bem sim. Muito bem amparado, orientado e assistido. Não só os jogadores do Corinthians, mas de todas as equipes do Brasil. Dos menores ao mais gigante, que é o Corinthians”, comentou.

Por fim, Jorge Kalil também afirmou que Tiago Nunes, treinador do Timão, continua no cargo durante o período de pausa. O técnico vem sendo questionado pela torcida após a eliminação na Copa Libertadores da América e a má campanha no Campeonato Paulista.