Diretor do Corinthians fala sobre possibilidade de repatriar Paulinho e Renato Augusto

  • Por Jovem Pan
  • 19/02/2020 10h37
Reprodução/TwitterDuílio Monteiro Alves é diretor de futebol do Corinthians

Diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves afirmou que está acompanhando a situação de Paulinho, do Guanghzou Evergrande, e Renato Augusto, do Beijing Guoan, ex-jogadores do clube que, atualmente, estão sem atuar no futebol chinês devido a paralisação do campeonato local, motivada pela epidemia do coronavírus.

Em entrevista ao “Globoesporte.com”, o mandatário corintiano admitiu existe a possibilidade de repatriar Paulinho, que tem contrato com o Guanghzou até 2023. Com o torneio nacional paralisado pelo menos até março – há a chance de o prazo se estender -, a diretoria monitora a situação do volante, que está treinando no CT Joaquim Grava.

“Estamos acompanhando a situação do coronavírus na China. Não só os dois, mas qualquer outro atleta brasileiro que esteja jogando na China ou não brasileiro, também. Estão fora do país por conta da epidemia. A gente acompanha de longe. O que está paralisado é o Campeonato Chinês, mas existe a Liga dos Campeões da Ásia”, disse Duílio.

“Paulinho é um amigo, o conheci em 2010, quando veio para o Corinthians, trabalhamos juntos até 2014. Depois disso, nos falamos quase que semanalmente. Muito bom revê-lo. Já tinha ido nos visitar, almoçou lá conosco. Começou a treinar lá enquanto o campeonato está parado”,  continuou.

Duílio também revelou que a situação de Renato Augusto é semelhante com a de Paulinho, já que o armador possui vínculo com a equipe chinesa até 2021, Além disso, o Beijing também está disputado a Champions Asiático, algo que dificultaria um acordo pelo atleta.

“Foi falado muito em Renato Augusto pelos torcedores. Ele jogou aqui. E é também a mesma situação. Está em campo pela Liga dos Campeões da Ásia e, por isso, a gente não vê possibilidade hoje. Estamos de olho, atentos ao mercado. Se existir alguma possibilidade de que o campeonato lá não volte, a gente vai trabalhar para tentar ter reforços”, declarou.

“Hoje, acho praticamente impossível por existir outras competições e eles estarem jogando. Salário que eles ganham, valores muito altos. Não teria viabilidade a não ser que o campeonato fosse paralisado durante todo o ano”, finalizou.