Netflix pede ao STF volta da exibição do especial de Natal do Porta dos Fundos

Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quarta a retirada do filme da plataforma

  • Por Jovem Pan
  • 09/01/2020 16h11
ReproduçãoO especial do Porta dos Fundos, lançado em dezembro na Netflix, gerou polêmica por retratar Jesus como homossexual

A Netflix fez nesta quinta-feira (9) uma reclamação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a volta da exibição do “Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo”. A 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quarta a retirada do filme da plataforma, além de trailersmaking ofs, propagandas ou qualquer alusão publicitária. Se descumprida a decisão, a multa é de R$ 150.000.

O ministro Gilmar Mendes foi definido como relator do pedido. No entanto, como o Poder Judiciário está em recesso até fevereiro, a ação foi distribuída ao presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. Cabe a ele julgar as questões que considerar urgentes.

De acordo com a Netflix, a decisão da Justiça do Rio, que atendeu a um pedido da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura, “silencia por meio do medo e da intimidação”.

“Nós apoiamos fortemente a expressão artística e vamos lutar para defender esse importante princípio, que é o coração de grandes histórias”, disse a empresa em nota.

O especial do Porta dos Fundos, lançado em dezembro na Netflix, gerou polêmica por retratar Jesus como homossexual.

Na ação, a Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura argumentou “que o nível de desrespeito, agressividade e desprezo pela fé e os valores dos católicos revelados no filme é indizível, sendo especialmente agravado pelo fato de ter sido lançado às vésperas do Natal, data sagrada para os cristãos de todo o mundo”. Além disso, alegou que o filme “despreza, ridiculariza e avilta as crenças e os valores mais caros aos católicos e aos cristãos de todo o mundo, a pretexto de uma liberdade de expressão e artística”.

Outro ponto defendido é que o filme tem “muitas cenas e termos chulos”, que “podem ser questionados e considerados desnecessários mesmo dentro do contexto artístico criado com a paródia satírica religiosa”.

Há poucas semanas, a sede da produtora Porta dos Fundos foi alvo de um ataque com bombas caseiras também por causa do especial de Natal. O atentado teria sido feito por Eduardo Fauzi, que está foragido na Rússia.