Espanha cancela concerto de Plácido Domingo após tenor assumir assédio sexual

Plácido Domingo se apresentaria no dia 14 de maio no Teatro de la Zarzuela, em Madri

  • 26/02/2020 14h14
EFE/EPA/SERGEI CHIRIKOVPlácido Domingo se apresentaria no dia 14 de maio no Teatro de la Zarzuela, em Madri

O Instituto Nacional de Artes Cênicas e Música (Inaem) da Espanha cancelou, nesta quarta-feira (26), um concerto de Plácido Domingo no Teatro de la Zarzuela, em Madri, previsto para maio, após o tenor assumir a responsabilidade em casos de assédio sexual e abuso de poder relatados por cerca de 20 mulheres nos Estados Unidos.

O cancelamento foi determinado “dada a seriedade dos acontecimentos e seguindo as declarações de Plácido Domingo, nas quais ele assume ‘total responsabilidade por suas ações’, o Inaem, em solidariedade às mulheres afetadas e percebendo a responsabilidade reconhecida pelo artista”.

“O Inaem e o Ministério da Cultura e Esportes expressam seu firme apoio às mulheres e sua rejeição a qualquer tipo de assédio, comportamento abusivo ou expressão de dominação”, acrescentaram as instituições espanholas.

Plácido Domingo se apresentaria no dia 14 de maio no Teatro de la Zarzuela, no mesmo dia e no mesmo palco em que estreou em Madri, há 50 anos, embora em uma obra diferente, e iria interpretar o papel de Vidal Hernando em “Luisa Fernanda”, de Federico Moreno Torroba.

Nesta terça-feira (25), o sindicato dos artistas musicais dos Estados Unidos (AGMA, sigla em inglês) divulgou um comunicado sobre o resultado de uma investigação – que não foi tornada pública -, onde afirma que o tenor espanhol assediou sexualmente dentro e fora do trabalho, sendo esse um “comportamento inadequado” que o sindicato da ópera americana considera “provado”.

O jornal americano The New York Times publicou hoje informaçõesde que a AGMA teria pedido ao artista o valor de US$ 500 mil (cerca de R$ 2,1 milhões) para financiar sua investigação e “limitar” as declarações contidas nela.

*Com EFE