Morre a poeta Olga Savary, aos 86 anos, por covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2020 20h29
Estadão ConteúdoA escritora paraense Olga Savary, de 86 anos, morreu nesta sexta-feira

A escritora paraense Olga Savary, de 86 anos, morreu nesta sexta-feira, vítima da covid-19. Ela foi enterrada em Teresópolis, no Rio de Janeiro, onde vivia com sua filha, Flávia Savary, segundo informações da editora Thereza Rocque da Motta.

Poeta, romancista, jornalista e tradutora, Olga Savary foi uma feminista pioneira e ousada, tendo sido a primeira mulher a publicar uma coletânea de poemas eróticos no Brasil, Magma (1982). Entre as obras de grandes nomes da literatura latino-americana que traduziu figuram Júlio Cortázar, Jorge Luis Borges, Carlos Fuentes, Mario Vargas Llosa e Pablo Neruda.

Colaboradora de primeira hora do jornal alternativo Pasquim, que combateu a censura do regime militar, Olga é tida como inventora da palavra “dica” como sinônimo de indicação, usando-a numa coluna que manteve no jornal.

Amigo de Olga, o poeta Edimilson de Almeida Pereira reconheceu que ela foi uma de seus primeiras incentivadoras. A poeta também atuou como colaboradora e correspondente de diversos jornais e revistas no Brasil e no Exterior. Olga, que perdeu o filho Pedro em 1999, aos 41 anos, deixa a filha, também escritora, Flávia Savary. Os dois são filhos do cartunista Jaguar, com quem Olga foi casada.

* Com Estadão Conteúdo