Carlos Santana lança marca de maconha na Califórnia

Com a liberação da maconha na Califórnia, Carlos Santana terá sua própria marca

  • Por Jovem Pan
  • 16/01/2020 17h36
Reprodução/InstagramCarlos Santana terá a própria marca de maconha

O músico Carlos Santana anunciou que a partir de junho começará a comercializar a sua própria linha de produtos de maconha, graças a uma parceria com uma empresa que já lançou marcas similares com os herdeiros de Bob Marley e Mickey Hart, o baterista da banda Grateful Dead.

“A maconha é uma janela ou uma porta para diferentes percepções da consciência”, disse o guitarrista de ascendência mexicana, em declaração divulgada nesta quinta (16). “Dá a você a opção de perceber, através de um filtro diferente de despertar e cura, a ideia da distância como uma ilusão, que te impede de se concentrar na sua essência. Ajuda você a se conhecer, se aceitar e ter a qualidade de vida de existir com alegria!”, acrescentou o dono de dez prêmios Grammy.

Com a decisão de entrar na próspera indústria da maconha nos EUA, Santana, de 72 anos, está seguindo os passos de outros grandes músicos, como Willie Nelson, que lançou a marca Willie’s Reserve em 2015. No mesmo ano, o rapper Snoop Dogg pôs no mercado a linha Leafs.

O guitarrista passou anos lutando pela legalização da canabbis. Em 2009, propôs ao então presidente Barack Obama que ele usasse os impostos sobre a venda legal de maconha para financiar a educação pública.

Os planos de Santana com a Left Coast Ventures são de lançar os produtos no verão do hemisfério norte. A expectativa é que estejam disponíveis para compra em clínicas no estado da Califórnia. Depois disso, no último trimestre deste ano, o músico deverá lançar uma linha de produtos de canabidiol, que não tem o componente viciante da maconha e é usado principalmente para fins medicinais.

O artista não revelou que nome dará à sua marca, mas a revista Rolling Stone especulou que poderia ser inspirado pelos nomes de seus álbuns, entre os quais mencionou Moonflower, Supernatural e Shaman.

*Com EFE